| Eagora

Sign In

Identifier

Event

Language

Presentation type

Topic it belongs to

Subtopic it belongs to

Title of the presentation (use both uppercase and lowercase letters)

Presentation abstract

Em 1958, o conhecido historiador alemão Edmund O’Gorman publicou sua importante obra, A invenção da América, em que argumentava que a identidade americana, desde os primeiros navegadores quinhentistas, foi construída a partir de um movimento gradual de sobreposição das vontades e dos interesses dos seus conquistadores. Já entre os séculos XVIII e XIX, a ambição colonial assumiu uma postura nova, marcadamente epistemológica, em que a exploração dos territórios extraeuropeus se associava também a curiosidade científica. Dentro desse processo, a obra de viajantes, artistas e naturalistas, adquiriu um valor singular. Enquanto modelo epistemológico, a obra do viajante faz constantes referências às ciências da época; enquanto obra de arte, sejam imagens aquareladas e/ou litografias, seguem em maior ou menor medida os arquétipos literários e os cânones visuais com os quais seus autores foram formados, e que figuram em seu imaginário. Nesta comunicação, pretende-se caracterizar os modelos pelos quais os viajantes europeus puderam apreender os cenários e os povos americanos. Em particular, discutir a obra do viajante acadêmico, Jean-Baptiste Debret, pintor francês que viveu no Brasil entre 1816 e 1831, cujas ilustrações remetem não somente a um país em particular, mas se mostram como representações metonímicas da América. Constata-se que as imagens formuladas pelo viajante estão em constante processo de atualização de uma determinada representação da América.

Long abstract of your presentation

Keywords (use both uppercase and lowercase letters)

Main author information

Thiago Costa (Brazil) 9090
Scientific production

Co-authors information

Status:

Approved